SASDERBA INICIOU SEMINÁRIO DISCUTINDO SE VALE A PENA NEGOCIAR PRECATÓRIOS

 

Nilton Borges e Osmar Freire Guimarães abriram seminário da Sasderba e Asderba/Sindicayo.

O gerente-geral da Sasderba, Nilton Borges Ramos, e o presidente do Conselho de Administração da entidade, Osmar Freire Guimarães, abriram na manhã desta segunda-feira (dia 29) o seminário que antecede a Assembleia Geral da Asderba/Sindicato e da Sasderba colocando em discussão a conveniência de negociar, ou não, a venda dos precatórios. Segundo Nilton Ramos, há duas empresas interessadas em comprar os precatórios (dívidas reconhecidas pela Justiça e que o Governo do Estado terá que pagar), mas com um deságio a ser negociado da forma que seja mais vantajosa para a Sasderba.

Uma dessas empresas é um grupo financeiro de São Paulo. Pela lei, todos os precatórios deveriam ser pagos até 2020, mas, em novembro do ano passado, o Congresso aprovou a prorrogação do prazo por mais dois anos, estendendo-o até 2022. A questão, segundo o dirigente da Sasderba e da Asderba/Sindicato, é decidir se vale a pena esperar até lá ou negociar a venda dos precatórios para capitalizar a Sasderba.
Qualquer decisão, no entanto, só será tomada pela Assembleia Geral Ordinária da Sasderba, na próxima quarta-feira (dia 31).

Conforme Nilton Ramos, a Sasderba tem capital para tocar este ano de 2018, enquanto permanece cobrando o pagamento dos depósitos judiciais. “Precisamos de caixa para tocar com tranqüilidade o próximo triênio”, observou. Nilton Ramos informou que as aplicações financeiras da Sasderba sofreram prejuízo com a queda dos juros de 1% para algo em torno de 0,55% (quase metade), ao mês. Os trabalhos prosseguem amanhã e quarta-feira, com a realização da Assembleia Geral da Asderba e da Sasderba, respectivamente.

 

Facebook Comments

Comentários no Facebook