PSOL E TÉCNICOS DO ANTIGO DERBA DISCUTIRAM INFRAESTRURA DE TRANSPORTES E MOBILIDADE

Seminário reuniu técnicos do Derba e militantes do PSOL.

– Seminário recolheu sugestões para enfrentar gargalos no setor na Bahia.

Recriar o Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia, o antigo Derba, extinto em 2015 pela reforma administrativa do governador Rui Costa; resgatar o planejamento dos transportes no Estado; reimplantar o Fundo Rodoviário ou Fundo Nacional de Transporte – como pretendem duas Emendas Constitucionais em tramitação no Congresso; dar prioridade absoluta à conservação rotineira e preventiva da malha rodoviária estadual; dedicar especial atenção ao transporte ferroviário de passageiros entre Salvador e das cidades mais próximas num raio de 100 km; ampliar e melhorar o sistema Ferry-Boat, e rever a política de privatização das rodovias estaduais mediante a cobrança de pedágio.

Foram estas as sugestões encaminhadas por engenheiros e técnicos do extinto Derba, durante o Seminário “Infraestrutura de Transportes e Mobilidade na Bahia”, promovido pelo PSOL na noite de terça-feira (dia 19), no auditório da Sociedade Assistencial dos Servidores da SIT e extinto Derba, no bairro da Pituba em Salvador, objetivando colher subsídios para o programa do partido no setor de infraestrutura de transporte e mobilidade urbana. Além do pessoal do antigo Derba, participaram do evento o pré-candidato do PSOL a governador, Marcos Mendes, o vereador e pré-candidato a deputado estadual, Hilton Coelho, o auditor federal Mário Diniz e militantes socialistas libertários.

Uma vez eleito, Marcos Mendes já se comprometeu a resgatar a estrutura do Derba, “para cuidar melhor e a custos bem menores das estradas da Bahia”. Elaboradas com a participação do engenheiro Carlos Alberto Dantas Mendes, um dos destacados quadros da antiga autarquia dos rodoviários baianos e secretário dos Transportes do governo Waldir Pires (1987-1989), as proposições foram entregues pelo gerente geral da Sasderba e presidente da Asderba/Sindicato, Nilton Borges Ramos.

EXTINÇÃO PREJUDICIAL

Para resgatar o planejamento dos transportes no Estado, o documento sugere a elaboração de um plano integrado em que os diversos modais sejam utilizados de acordo com suas características e especificidades, de tal forma que os custos possam ser otimizados e racionalizados. Já a recriação do Derba seria “indispensável para o sistema de gerenciamento do sistema rodoviário da Bahia”. O documento aponta que “a extinção do Derba foi feita de forma sigilosa e açodada, e representou um ato irresponsável e insano, elaborado por burocratas de gabinete que desconhecem a geografia da Bahia e o papel e importância da antiga autarquia para o desenvolvimento socioeconômico do Estado”.

Ainda sobre a extinção do órgão, o documento alerta para “os prejuízos gigantescos advindos com a medida, pois, além da destruição do grande e valioso patrimônio adquirido ao longo de quase um século, contabiliza-se o acréscimo substancial nos custos da utilização das rodovias mal conservadas”. Como se isso não bastasse, “acrescente-se o ônus incalculável aos cofres públicos oriundos de projetos mal elaborados e da falta da necessária fiscalização técnica da sobras entregues às empreiteiras”.

Na defesa da ampliação e da melhoria do sistema Ferry-Boat vem também a recomendação de construir novos terminais e adquirir mais duas embarcações, além de restabelecer o transporte marítima entre Salvador e as cidades do recôncavo e do litoral sul, notadamente aquelas de maior interesse turístico. Sobre a questão da cobrança de pedágio, o documento dos derbianos sublinha que “além de onerar muito os usuários das rodovias. Esse sistema beneficia as grandes empresas que abocanham polpudos lucros sem a equivalente contrapartida dos serviços”.

Facebook Comments

Comentários no Facebook